segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Restauração da Independência


1 de Dezembro de 1640 é um dos marcos mais importantes da História de Portugal, que convém sempre relembrar.
A morte de el-rei D. Sebastião, na batalha de Álcacer Quibir, contribuiu para a perda de Independência de Portugal. Sem deixar descendência a soberania portuguesa passou para Filipe II de Espanha (neto do rei D. Manuel I). Nas cortes de Tomar este monarca prometeu respeitar leis, usos e costumes nacionais, mas com o passar dos anos Filipe II foi desrespeitando todas as promessas e os cidadãos foram perdendo os seus privilégios - os mais afectados foram o clero e a nobreza - e passámos para uma situação subalterna em relação a Espanha. A capital de Portugal muda de Lisboa para Madrid e, passamos a mais uma Província Espanhola.
Através dum golpe palaciano, um grupo de fidalgos recupera a independência: prendem a Duquesa de Mântua (Margarida de Sabóia) e matam o seu secretário Miguel de Vasconcelos e proclamam Rei de Portugal D. João IV, Duque de Bragança. Chegam ao fim sessenta anos de domínio espanhol sobre Portugal.
Houve festejos em todo o País e, agora a preocupação seria defender as fronteiras de uma possível retaliação. Foram mobilizados homens dos dezasseis aos sessenta anos.



1 comentário:

Dudis disse...

Olá, desejos de um bom feriado, e obrigada pela lição de história, realmente não conhecia. Bjos doces