sexta-feira, 24 de abril de 2009

25 de Abril de 1974!

Era mais um dia de aulas igual a tantos outros. Levantar às sete e trinta da manhã, apanhar a camioneta no Zé da Volta até à Rodoviária e depois a carrinha para o Colégio Andaluz, onde frequentava o 4º ano liceal (hoje é o 8º ano!). Chegada ao Colégio notei uma azáfama invulgar por parte das freiras e professoras; eis que nos dão a boa-nova:"Hoje não há aulas vão para casa!". Para miúdas de 14, 15 e 16 anos foi uma alegria imensa, não havia aulas, só não percebi porquê. Mais tarde o meu pai tenta explicar-me o que se estava a passar e o que foram quarenta e oito anos de fascismo. Surgem os primeiros vocábulos meio estranhos, tais como: reforma agrária, greve, democracia, partidos políticos, direito de voto, proletariado, liberdade de expressão e de imprensa e, muitos outros. Aqui de Santarém da Escola Prática saiu o falecido Capitão Salgueiro Maia a comandar as suas tropas rumo a Lisboa para por fim à ditadura. Vieram os comícios e as manifestações, as pessoas saíram às ruas para lutarem pelos seus direitos e melhores condições de vida. Também a maldita guerra das chamadas províncias ultramarinas terminou para regozijo de muitas famílias que tinham elementos masculinos em idade para cumprir serviço militar obrigatório.
E, assim a Democracia instalou-se neste País cinzento e apagado, veio cheia de alegria e vontade de vencer, pensando que todos os problemas se resolveriam e, todos nós iríamos ter melhor vida. A Democracia venceu e apesar de muitos desejarem a volta do Dr. Salazar como uma espécie de S. Sebastião, o Desejado, o fascismo e os fascistas não voltaram mais, porque o povo não quer, porque O POVO UNIDO JAMAIS SERÁ VENCIDO.

9 comentários:

cláudia disse...

Olá querida Jú!
Obrigada pelo comentário!
Gostei muito de ler estas suas palavras! Sou já da geração da Liberdade, mas os meus pais e avós viveram a Revolução. Os meus pais uma pouco novos, sem terem bem noção, mas os meus avós (sobretudo o meu avô paterno, membro activo e clandestino do partido Comunista, que nunca cheguei a conhecer) viveram-na com muita sede de mudança! Se calhar, por ter sido estudante de História (Arqueologia) e porque os períodos que mais aprecio são a História mais antiga e mais recente, gosto muito de ler, estudar e ouvir relatos do período do Antigo Regime e da Revolução!
Beijinhos
Cláudia (http://gatapreta-artesanato.blogs.sapo.pt)

KostaSantus disse...

...razão tenho eu, quando digo que tens jeitinho prá coisa (da escrita), tá muito bom.

Marco disse...

Claro que tem jeito. Salazar? "Novo" D.Sebastiao? Se for ainda bem, é sinal que nunca mais ca mete os pés!
25 de Abril, ontem, hoje e sempre.

Inez, como no tempo da vovó disse...

Que alegria sua visita, vim agradecer
Aqui o ponto do bolsa amarela chamamos de pipoca
Menina, vc faz tudo muito bem, até filho rsrsrsrs
Parabéns!!!!
mil bjs
Inez Barbosa

Nena disse...

Olá,Jú!
Além de belos trabalhos,aqui também encontramos cultura...obrigada pelo texto.
Um beijo,Nena

Nélia disse...

Olá Jú!

Recordações que faz bem lembrar!
bjs
Nélia

Eunice Martins disse...

OLA AMIGA

As palavras que me chegam são formas ocultas de desvendar os olhos profundos da amizade;
Inflamada pela sublime e pura inspiração de escrever para uma pessoa que com certeza pode ajudar-me a decifrar esses mistérios da poesia;
A poesia para mim é como o ar que respiro;
Através da poesia sinto-me mais perto de ti amiga;
Através desse encontro formamos um grande laço;
Através desse laço forma-se um belo jardim;
Nesse jardim acabei encontrando pétalas;
Pétalas que encontrei um tesouro muito valioso e brilhante;
Dentro delas encontrei a nossa linda amizade;
Grata permaneço por ela existir;
Sinta o brilho do seu interior;
Pois para mim não existe nada tão importante como a nossa amizade sem fim;
E obrigada por ser essa amiga tão querida e especial !!!
DEDEJO UM BOM FIM DE SEMANA.
BEIJOS COM CARINHO.

cláudia disse...

Olá amiga!
Obrigada pelo comentário!
Um beijinho e bom fim-de-semana!
Cláudia (http://gatapreta-artesanato.blogs.sapo.pt)

Eunice Martins disse...

ola amiga,

A Essência dos Amigos

Eu sempre costumo dizer que os
amigos são flores.
Flores por que? Porque as flores além de sua
graciosidade deixa perfume nas mãos de quem as colhem.
Assim são os amigos, cada um traz consigo uma essência
característica de sua personalidade.
Cada amigo que colhemos no jardim da vida tem sua
esssência, alguns tem ela mais concentrada,
outros equilibrada e outros ainda tão suave que só
com a alma podemos sentí-la.
As melhores essências são sempre encontradas em
pequenos frascos, assim são os amigos,
as vezes pequenos frascos talvez até mesmo sem um
rótulo, mas cuja fragrância invade até a alma.
Meu/ Minha amiga(o) o que faço aqui não é encher sua bola,
mas dizer-lhe que você é mais que um(a) amiga(o),
tantas e tantas vezes sinto você do meu lado
através dos seus e-mails, ou atraves dos momentos
em que nos dispomos a teclar.
Quero lhe agradecer esta demonstração de amor
e amizade, amizade que não é senão a melhor
forma de vivermos o "amor"
que Jesus nos propõe.
DESEJO UMA SEMANA MARAVILHOSA.
BEIJOS COM CARINHO.